O Dojo

O Dojo

O Aikido e as Artes Marciais japonesas em geral, praticam-se num Dojo. Um Dojo não é apenas um ginásio, mas também não é um templo onde se veneram divindades. O Dojo fica mais ou menos a meio “caminho” entre ambos. Cultiva-se corpo e espírito, um não vai sem o outro. É um centro de cultura física e espiritual.

Originalmente o Dojo é a sala de meditação dos mosteiros Zen Japoneses, onde os monges procuram a Iluminação, o Satori. Por extensão é também o nome pelo qual os mestres de artes marciais têm ao longo dos séculos designado a sala onde se pratica o Budo (via da perfeição) . É portanto um lugar de “procura elevada” onde através do treino de uma arte marcial, num ambiente de simplicidade, respeito e atenção, se procura o desenvolvimento do carácter do praticante.

As paredes de um Dojo tradicional são normalmente despidas de objectos decorativos, a fim de que o praticante não disperse a sua atenção. A única excepção é a parede de honra, chamada Kamiza, na qual se pode encontrar por vezes as fotos de grandes mestres, um Tokonoma, espaço sobrelevado contendo um expositor com as armas do sensei, um arranjo floral sóbrio, ou ainda alguma poesia ou lema da escola escrita em kanji por algum grande mestre. Alguns Dojos mais tradicionais, especialmente no Japão, adoptam algumas formas inspiradas no Shintô nomeadamente incluindo um Shinden (altar) no lado de honra, e executando algumas saudações rituais.

Tudo no ambiente deve convidar ao silêncio e à atenção. Não são necessários nem recomendados objectos de luxo, cores vistosas, paredes brilhantes, assentos demasiado confortáveis, climatizadores (se existem só deverão usar-se nas condições extremas de muito frio ou muito calor), etc. .  O ambiente deve sempre que possível aproximar-se do natural e inspirar-se nos elementos da Natureza.

A parede oposta à da porta de entrada é a superior, é nela que normalmente se instalam os elementos do Kamiza, e em face da qual se senta o professor, os mestres ou convidados de honra, segue-se a face do lado direito, olhando para o kamiza, e depois a face do lado esquerdo e por último a face da entrada, inferior.

Devido à configuração de certas salas (várias portas; janelas; bancada para público, etc.), por vezes define-se a hierarquia de valores das faces do Dojo de forma diferente, mas uma vez estabelecida a face do kamiza, esta deve ser respeitada como local mais importante.

A higiene no Dojo é constante, este deve ser  limpo com frequência e o percurso entre o vestiário e os tatamis deve ser efectuado com zoris (chinelos).

Etiqueta no Dojo

A etiqueta no Dojo é simples, normalmente observam-se três formas de saudar, san setsu rei como diz o Mestre Sugano, isto é: saudação ao Kamiza; saudação ao professor; saudação aos parceiros de treino.

Em direcção ao Kamiza são dirigidas as vénias de respeito pelos mestres da Via, normalmente aos fundadores da arte ou grandes mestres do passado que nos legaram a tradição. As vénias num Dojo de Artes Marciais não têm um carácter de culto religioso, são apenas um sinal de respeito e gratidão para com aqueles que nos antecederam e nos mostraram o "Caminho”.

A saudação ao professor é efectuada no início e fim da aula e após cada explicação técnica.

A saudação ao parceiro de treino faz-se no início e no fim da prática comum.

Se o aluno chega depois da aula começar é próprio da etiqueta aguardar de pé, ao lado do tatami, que o professor o convide a integrar o treino, faz depois uma saudação em seiza, direccionada ao Kamiza e junta-se à classe.

Nas aulas em que são feitos trabalhos com armas tradicionais de Aikido é também executada uma saudação à arma com que se vai trabalhar, no início e no final dessa prática.

Estado de espírito no Dojo

No ambiente do Dojo deve dominar a calma espiritual e um bom humor. Por isso evita-se discutir ou falar em voz alta, evitam-se as grosserias e também que durante a prática ou durante a explicação do professor, os alunos conversem entre si.

A etiqueta no Dojo proíbe as conversas mundanas. O assunto dentro de um Dojo é só um, Aikido ou correlacionados (Budo, organização da escola, cultura física ou espiritual, saúde, História do Budo).

No Dojo não são necessárias ostentações nem artigos de luxo, mas deve evitar-se o desleixo com o equipamento de treino, o keikogi deve estar limpo e ser correctamente vestido, se está danificado deverá reparar-se.

Embora descontraídos e sem tensões inúteis, devemos no entanto evitar as posturas corporais e atitudes que induzam a preguiça, a indolência ou o torpor. No Dojo, o aluno deve estar atento e desperto. A mente deve estar receptiva e presente a cada momento, sendo a concentração na técnica um instrumento para isso. A atitude ideal é, como recomenda o Mestre Seiichi Sugano, “focus and relaxation”.

Valores do Budo

Por último talvez não devamos perder de vista que, mais do que o local onde se pratica, é a arte que praticamos que é importante e só através do treino sincero e perseverança podemos desenvolver um corpo e espírito fortes e em harmonia com os outros e alcançar os objectivos a que nos propusemos.

Num Dojo de Aikido cultivam-se os valores da paz, da gratidão para com os nossos antecessores, da amizade e empatia, do respeito para com a natureza e os seres vivos e da coragem.

A. Vaz - Novembro 2008

Tags: